post detail

GruDi > Nosso Blog > Blog > Síndrome de Down: alertas e cuidados

Síndrome de Down: alertas e cuidados

Presente em um a cada mil nascimentos em todo o mundo, a Síndrome de Down (SD) é uma das doenças genéticas mais pesquisadas por especialistas tanto na infância quanto em fases mais tardias do ciclo de vida humano.

Mas quando o tratamento realmente começa? Segundo o neuropediatra Dr. Clay Brites, especialista da Neuro Saber, após a confirmação diagnóstica, a família deve já incluir a criança com Síndrome de Down em vários eixos de cuidados e intervenções para assegurar adequado crescimento e desenvolvimento.

Brites ressalta que, atualmente, a medicina já dispõe de um planejamento terapêutico mais completo e que leva em consideração cuidados em todas as fases de sua vida, do recém-nascido ao idoso, com a finalidade de garantir qualidade de vida a longo prazo.

O especialista diz que, devido as suas peculiaridades, esta síndrome pode levar ao comprometimento de vários órgãos e sistemas de funcionamento desde a primeira infância. “Por isso, é fundamental os pais terem muito atenção em diversos fatores”.

Um deles diz a respeito das alterações cardíacas. O neuropediatra explica que esse problema está presente na maioria dos pacientes. É comum, por exemplo, encontrar casos de malformações cardíacas, que levam a modificações estruturais e no funcionamento deste órgão.

– Isso traz variadas consequências para a criança com Down, como dificuldades de ganho de peso e restrição aos exercícios e movimentos – destaca.

Outro ponto são os problemas hormonais e de crescimento. A baixa estatura é uma constante além de problemas hormonais, como hipotireoidismo e déficit de hormônio de crescimento. Brites explica que conta disso é frequente observar a obesidade nestes pacientes. “Assim, é necessário uma alimentação saudável e reposição hormonal para correção destas alterações desde cedo”.

 

Leia mais acessando: https://www.reab.me/sindrome-de-down-alertas-e-cuidados/

Fonte: www.reab.me – Por: Ana Leite –29 de março de 2017

 

Be the first to Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *